10-12-2018 | Chefes alertam a população para a escolha de alimentos saudáveis na hora de cozinhar

A Fundação Professor Fernando Pádua apresentou o projeto “Uma Tradição de Comida Saudável” e a campanha de Crowdfunding para o financiar associada. Os chefes presentes deram a conhecer dicas para se substituírem alimentos prejudiciais à saúde na rotina alimentar, principalmente o sal que é uma das bases da criação do projeto.

A apresentação do projeto “Uma Tradição de Comida Saudável” da Fundação Professor Fernando Pádua, um projecto de empreendedorismo social que visa melhorar os hábitos alimentares dos portugueses foi o mote para juntar três chefes, que fazem parte da iniciativa, e o próprio professor Pádua, numa conversa focada em alimentação saudável, e os perigos da falta dela.

Para o especialista não restam dúvidas: “é da máxima importância manter uma alimentação saudável, porque somos o que comemos”. Quanto ao sal, o professor confessou ser “o maior problema do mundo”.

Com este Projecto agora proposto para ser financiado via Crowdfunding a Fundação Prof. Fernando de Pádua (IPSS) confia à criatividade dos chefes a apresentação de receitas com experiências novas de aromatização para apaladar a comida sem se depender unicamente do tempero com sal.

No restaurante Puro onde decorreu a apresentação, também esteve presente Cátia Goarmon, mais conhecida como a Tia Cátia, do canal 24 Kitchen, que garante ser “mais difícil substitui o açúcar do que o sal na alimentação, até porque as alternativas naturais ao absoluto doce acabam por ser poucas”.
O chefe António Amorim reforçou que apesar dos açúcares serem a escolha principal das pessoas, tem que ser substituído de uma vez. “As pessoas quando olham para os doces esperam sempre que o sejam têm essa expectativa. Eu tenho alternativas saudáveis”.

O Prof. Fernando de Pádua afirma ainda não haver grande surpresa ao relacionar a alimentação com a saúde pois nem se poderia ter dúvidas quando, afirma, “os portugueses têm a mania de alimentar os outros e andaram pelo mundo nos anos mil e quinhentos tendo então descoberto que a alimentação era muito importante” (…) “até para prevenir o escorbuto”.

Também é histórica a relação dos portugueses com a aromatização da comida por via das especiarias.

Cátia Goarmon (As Receitas da Tia Cátia/24Kitchen) explicou como a sua preocupação, enquanto mãe e cozinheira, é a saúde dos filhos por via de uma boa alimentação com a sua “versão mãe” em que não se pensa apenas em exacerbar o sabor mas em manter um regime alimentar que seja sustentável para o dia-a-dia.

Para isso, afirma, promove também nos seus programas a substituição de uns produtos mais usuais por outros menos se isso trouxer um prato com o mesmo sabor mas mais saudável e sustentável no dia-a-dia.

Considera que partilhar as boas práticas alimentares é determinante e que este projecto é uma oportunidade de o fazer.

O Chef Bertílio Gomes (Chapitô à Mesa) apontou duas principais razões para ter apoiado sem hesitações, logo desde início, este projecto com criações culinárias suas.

A primeira razão que apontou foi o trabalho do Prof. Fernando de Pádua a quem apelidou de pioneiro no tema numa época em que pouco se valorizava a alimentação como era há 30 ou 40 anos atrás, “queria dar os parabéns por essa visão que teve e o ter metido mãos à obra e ter ido para o terreno trabalhar com as pessoas a sua saúde pela via alimentar”

A segunda, continuou o Chefe, é “terem associado este projecto à cozinha regional”, disse, “eu acho que faz todo o sentido quando normalmente se associa a cozinha regional aos problemas de saúde, o que eu acho que é uma falsa questão, porque a cozinha regional é uma cozinha saudável” “no tempo dos meus avós um porco dava para o ano inteiro para uma família de 10 o que quer dizer que tínhamos um rácio de carne de 50 gramas por dia, muito diferente do que sucede nos últimos 50 anos”.

António Amorim, Chefe que recentemente abriu o PURO by António Amorim, um restaurante com um conceito dedicado a quem quer comer saudável e rápido mesmo estando na azáfama do dia de trabalho no centro de Lisboa, diz ter crescido num ambiente rural e sempre “biológico”, no Minho. Demonstra alguma preocupação com a prática de exercício físico a par da alimentação adequada, assunto a que já se dedicou profissionalmente, e que o levou a planear esta nova oferta concentrada em ser uma opção para quem não se quer ficar pela salada de um restaurante tradicional.

O projeto “Uma Tradição de Comida Saudável” criado pela Fundação tem como objectivo mudar os hábitos alimentares dos portugueses ao longo de 12 meses, com vídeos dos 12 chefes a cozinhar diversos pratos de forma saudável. As receitas e preparação de cada prato estarão também disponíveis ao longo dos meses.

Cada uma das criações é confecionada com produtos mais saudáveis promovendo estratégias para se eliminar as tradições alimentares que nos são mais prejudiciais à saúde.

Nas diversas receitas, o sal é um dos ingredientes a ser combatido. Os chefes escolhidos vão mostrar como é fácil substituí-lo por outra erva aromática ou especiaria, mantendo o bom sabor da tradição.

O Projeto vai ocupar e ensinar as pessoas a comer é uma das preocupações da Fundação Prof. Fernando de Pádua (FPFP), uma IPSS cujo desígnio estatutário é a Promoção da Saúde para uma Melhor Qualidade de Vida.

Esta iniciativa, que pretende angariar em regime de crowdfunding, 37 mil euros (com IVA) apresenta um vídeo com os seguintes atores: Isabel Medina, Marlene Barreto e, entre outros, Miguel Linares, ainda com 12 chefes de reconhecidos restaurantes.  Que pode ser visto aqui: https://ppl.pt/UTCSfpfpadua

A Conferência de imprensa esteve em directo no Facebook e contou com uma audiência superior a 300 pessoas podendo ser vista aqui: (https://www.youtube.com/watch?v=9x1G_2StUhA)

 







©Portal Franchising® 2011 | Criado por: