15-02-2018 | APFertilidade lança vídeo de protesto contra o possível chumbo da Lei de Gestação de Substituição

Na sequência do possível acórdão para chumbo da Lei da Gestação de Substituição, a APFertilidade lançou no dia 14 de fevereiro um vídeo como forma de protesto e de alerta para a importância desta lei na vida de vários casais portugueses e na concretização dos seus sonhos de maternidade e paternidade. Lançado na rede social Facebook, o vídeo já conta com várias reações, mostrando a apreensão relativamente a este retrocesso.

Em vigor desde junho de 2017, a regulamentação para a Gestação de Substituição já contava com cerca de uma centena de manifestações de interesse junto do Conselho Nacional de Procriação Medicamente Assistida (CNPMA), sendo que um dos processos foi mesmo aprovado pelo CNPMA, após parecer favorável da Ordem dos Médicos. O pedido aprovado é referente a uma avó que irá gerar o neto, uma vez que a situação da filha se enquadra nos casos excecionais previstos na lei que regulamenta a Gestação de Substituição em Portugal.

Com o vídeo, a APFertilidade pretende sensibilizar para a importância desta decisão na vida de vários casais que poderão ver o seu sonho novamente suspenso, quando lhes havia sido dada a esperança e oportunidade para o concretizar.

 

Link para o vídeo: https://www.facebook.com/apfertilidade/videos/10155706939178780/

 

 

Sobre a Associação Portuguesa de Fertilidade

A Associação Portuguesa de Fertilidade foi constituída no dia 20 de maio de 2006 e dedica-se ao apoio, informação e defesa da comunidade de pessoas com problemas de fertilidade. Conta sobretudo com o trabalho voluntário dos associados no âmbito da luta contra a distribuição desigual dos centros de tratamento, ausência de legislação específica, limitação no acesso a diversas técnicas, falta de informação e no manifesto desinteresse pelas questões (médicas, psicológicas, sociais e económicas) relacionadas com esta doença. 

 

Saiba mais em ww.apfertilidade.org

 







©Portal Franchising® 2011 | Criado por: